QUEM RESPEITA A CULTURA VALORIZA A HISTÓRIA. OBJETOS DA CASA DA CULTURA FORAM ENCONTRADOS DETERIORADOS/AMONTOADOS EM UM BARRACÃO DE CHÃO DE TERRA.

06 de Maio de 2021

A Casa da Cultura que junto ao portal e Mercado do Produtor formavam um cartão postal do município de São Jorge D´Oeste, sofreu abandono e foi destruída pela ineficiência da última gestão que perdurou por 08 anos, tempo marcado pela destruição desta importante obra e que quase sucumbiu o Centro de Eventos que hoje está interditado e que será reformado.

A Casa da Cultura foi construída na Gestão 2001/2004, mandato do Ex- Prefeito Luis Raimundo Corti e que homenageava o pioneiro Gemiliano Veronese. O local foi palco de importantes agendas culturais, visitação, exposição e música. A finalidade da Casa da Cultura era de compreender as transformações pelas quais a cultura do povo sanjorgense tem passado no decorrer dos tempos, estabelecendo parâmetros para se poder definir em que aspectos a cultura foi transformada e em que grau.

Para a formação do acervo, foram doados objetos, utensílios, documentos e fotos pelos próprios munícipes. Nele peças raríssimas, ferramentas antigas, objetos da evolução da tecnologia, como televisores, telefones, celulares, máquina de escrever, computadores e muitos outros. Todas as peças quando foram doadas, foram documentadas e etiquetadas, contando o nome do doador e a origem.

Ocorre que após a destruição da Casa da Cultura, estas peças foram amontoadas dentro de um barracão de chão de terra sem o mínimo de cuidado e ainda não se sabe quanto se perdeu. Logo que assumiu a Administração do Município a Prefeita Leila determinou a busca pelo acervo e após a localização, que todas fossem limpas e guardadas provisoriamente em uma sala da antiga Escola São Jorge, local onde se encontra a Secretaria de Educação e a Biblioteca Municipal.

Quanto a Biblioteca a mesma também estava empilhada aos fundos do prédio destinado a ela, mas que foi adequado para a unidade sentinela. A Prefeita Leila da Rocha visitou ontem o espaço onde foram alocadas as peças e pediu muito zelo e cuidado com cada objeto. “O respeito a memória de nosso povo deve ser mantido. Eu me emociono pois vejo aqui um objeto que era do meu pai e sei que muitas famílias que fizeram a doação querem que o poder público tenha zelo por seus objetos”, comenta a Prefeita.

Skip to content